16/03/2013

Memórias de fogo




há um fogo líquido a moldar o barro
a ousada réplica do delírio
as mãos
 de um oleiro de Vulcano
que do Olimpo e na invisibilidade cintilante
de uma neblina quente de fogo
 tão ofuscante como a própria luz

molda mordaz e indiferente
o soluço e a forma do libidinoso grito



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado por me vir ler e comentar.