22/03/2013

Revirar as voltas




voltas e reviravoltas
uma inquietude feroz
capaz de devorar um rio
da nascente à foz

que maldição
devoraria esta condição?
uma magia utópica talvez
ou um arrepio tridimensional
pra mastigar este desassossego tão infernal

voam as virtudes plos espirais da pujante loucura
sacodem-se frenéticas todas as memórias

e o fado
                   esse
 canta-se hoje
               sem tréguas
 nas coxas vis do desprezo






Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado por me vir ler e comentar.